Délio Lins e Silva Júnior é eleito presidente da OAB-DF

29nov

Candidato da oposição superou os rivais e comandará a entidade de 2019 a 2021

O candidato à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal (OAB-DF) Délio Lins e Silva Júnior venceu a disputa pela presidência e comandará a entidade a partir do próximo ano. A votação ocorreu ao longo desta quinta-feira (29/11) e, embora o resultado ainda não tivesse sido proclamado oficialmente, às 19h30 já não havia como os adversários alcançá-lo matematicamente.

Délio superou os demais postulantes: Max Telesca, Renata Amaral e Jaques Veloso – este último contava com o apoio do atual mandatário da entidade, Juliano Costa Couto, e do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB).

Uma das principais bandeiras da campanha encabeçada por Délio foi a desvinculação da Ordem da política partidária. O criminalista criticou a proximidade do governador eleito da chapa de situação e a participação do emedebista na campanha. “Como vai haver independência? Como a OAB vai poder apontar o dedo se identificar algum problema?”

Ao longo da disputa, o advogado disse que quer reverter uma situação vivida pela classe hoje: segundo ele, a Ordem está omissa em relação às grandes pautas da sociedade e precisa ser mais participativa. Segundo o presidente eleito, os defensores têm sido tratados como personagens que tentam atrapalhar investigações e, por isso, têm tido seus direitos restringidos.

“Nós, advogados criminalistas, temos que estar ali ao lado do cliente até o final. Muitas pessoas confundem o advogado com o cliente, mas nós estamos ali para fazer o nosso trabalho”, afirmou, em recente entrevista ao Metrópoles.

Currículo
Participando da disputa pela segunda vez, Délio encabeçou a chapa Independência na Ordem, que contou com o apoio de centenas de criminalistas da cidade. Além de promover melhorias para que a classe volte a ter destaque na sociedade, Délio promete também desvincular a entidade de interesses político-partidários.

Délio Lins e Silva Júnior graduou-se em direito em 2000, no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Especializou-se em direito penal econômico e atualmente é mestre e doutorando em ciências jurídico-criminais pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em Portugal. Em 2010, presidiu a Comissão de Apoio ao Advogado Iniciante, na gestão de Antônio Caputo.

Fonte: Metrópoles